sábado, 9 de agosto de 2014

Capitulo 19-"pode parecer difícil conquistar a Dani mas não é impossível!"


Boa noite meninas!
Fica aqui mais um...Estão a gostar? Quero saber as vossas opiniões, o que estão a achar, manifestem-se sff! :P
Vou esperar pelas vossas opiniões ;)
Beijinhos

Ambos foram até à casa de banho privada e trouxeram algumas toalhas para se enxugarem.
-Senão te armasses em parva nada disto tinha acontecido!-falou Rúben depois de tirar a t-shirt completamente molhada.
-Eu é que me armei em parva?!A tua amiguinha é que.
-Podes parar de falar na Jessica!-ele interrompeu-a.- É  que não soubeste fazer outra coisa… E depois ainda dizes que não tens ciúmes. Não entendo mesmo porque não admites de uma vez por todas que sentes algo por mim!
- Mas vens outr.- Rúben não deu lhe deu oportunidade para terminar.Calou-a da forma mais eficaz! Beijando-a! Mesmo que Daniela quisesse colocar termo aquele beijo a língua de Rúben procurou a dela. Assim que se encontraram ficaram em sintonia. Ele colocou as suas mãos no fundo das costas de Daniela e sem pudor a puxou para perto dele eliminando a distância que havia entre eles. Aquela roupa estava demasiado encharcada para ficar mais algum segundo nos seus corpos e rapidamente Rúben se encarregou disto! Levou as suas mãos até à zona do peito de Daniela e agarrando na beira do tecido puxou-o  com toda a sua força rasgando este.
 A vontade de se fazerem um do outro rapidamente os consumia  e logo Daniela se apressou a retirar as peças de roupa que Rúben tinha vestida. Atirou aquela roupa alagada para o chão do quarto e quando estavam apenas em roupa interior foram, sem nunca se afastarem, em direção da cama. Caíram sobre esta ficando Rúben sobre Daniela unindo os seus lábios de imediato.

Viram-se livres daquelas ultimas peças de roupa e estando agora completamente despedidos Rúben entrou dentro de Daniela. Começou com um ritmo lento,fazendo com que eles desfrutassem cada segundo daquela entregada…Mas não o fez por muito tempo! Começou a acelerar o ritmo levando com que Daniela soltasse alguns gemidos. Ambos fizeram-se ouvir quando atingiram o orgasmo mas não se ficaram e voltaram a repetir o momento até ficarem sem forças.   Aí Rúben caiu para o seu lado direito ficando lado a lado com Daniela. Ela ficou com a sua cabeça pousada no peito do Rúben, enquanto ele passava o seu dedo indicador pelo braço direito de Daniela.
Ela não falava uma palavra…Ficava ali em silencio recebendo aquelas leves caricias de Rúben. Foram longos os minutos que estiveram apenas desfrutando daquele calor que estarem lado a lado. Rúben baixou um pouco a cabeça e beija-a na nuca, Daniela levantou o olhar e por meros segundos teve o seu olhar preso no dele…Para depois levantar a cabeça do peito despedido de Rúben.
-É melhor nos vestirmos.- disse Daniela ao levantar-se enrolando-se no lençol.
Rúben observou-a enquanto ela se afastou e ao agarrar a sua mala foi até ao interior da casa de banho. Acabou também por se levantar e buscar umas peças de roupa do interior do roupeiro de Ola John. Quando ela saiu da casa de banho olhou-o e ia já lhe virar costas para abrir a porta do quarto mas aí Rúben agarrou-a pelo braço, fazendo  com que ela ficasse de frente para ele. O olhar de Daniela ficou preso no de Rúben. Ele colocou a sua mão no rosto dela e uniu os seus lábios.
-Não achas que deveríamos falar? - Perguntou Rúben depois de colocar termo aquele beijo sem afastar os seus lábios do de Daniela.
-Não... É melhor irmos andando…
Colocou as suas mãos no peito do Rúben e deu alguns passos atrás. Abriu a porta do quarto e saiu.  Ele deixou-a ir, pois sabia que insistir no assunto não valeria a pena. Daniela já tinha mostrado que “fugir” era a caminho que preferia seguir, e por mais que quisesse Rúben não poderia fazer nada quanto a isto.
***
O pessoal ficou ainda  mais umas horas em casa de Ola John mas quando se fez tarde aos poucos foram indo embora. Rúben ficou mais alguns minutos pois esperava pela sua roupa que ainda estava na máquina de secar.
-Obrigado mano. - Agradeceu Rúben quando Ola John lhe deu o saco da roupa.
-Não precisas agradecer mas agora que estamos aqui os dois podes me dizer como tu e a Dani foram parar dentro da piscina?
-Sabes como é que são as coisas comigo e a Daniela, bem que tento manter a boa onda mas ela passasse com pouco…E quando estávamos lá fora ela empurrou-me para a piscina e acabei por a levar comigo também.- Ola John gargalhou ao relembrar-se de ver Rúben e Daniela entrarem completamente encharcados.
-E depois no quarto aqueceste o ambiente ajudando-lhe a tirar a roupa toda encharcada. - Voltou a gargalhar com a expressão de Rúben . - Sim mano não me vais convencer que tiveram aquele tempo todo no quarto os dois sozinhos a olhar para as paredes…Quando é que tu e a Dani acertam as coisas entre vocês?
-Acertam as coisas entre nós?! -bufou. - Tu nem deves mesmo conhecer a Daniela, ela é mais casmurra do que sei lá o quê. Vamos para a cama e depois ela fica…Diferente!
-Como assim diferente? - Rúben olhou-o.
-Fica distante…Ainda há bocado tentei falar com ela sobre nós mas nem me deu hipóteses como sempre foge ao assunto.
-Mano pelo que vejo a Dani não parece ser daquelas que quer estar agarrada a ninguém mas já deu para ver que mexes com ela. E não podes negar que ela tenho o mesmo efeito em ti! Se queres mesmo que aconteça alguma coisa entre vocês tem de insistir, pode parecer difícil conquistar a Dani mas não é impossível!
Rúben ficou a pensar no que John lhe dita tido.  Valeria mesmo a pena? Para além de ter todas aquelas questões se deveria ir em frente ou não, o facto de Daniela fugir em todas as oportunidades que tinha não ajudava!
***
A manhã seguinte à festa de Halloween foi aproveitada para uma única coisa apenas: dormir! Nenhuma das raparigas teve presas em levantar-se da cama mas quando se aproximava da hora de almoço  teve de ser! Enquanto estava na mesa  Daniela recebeu uma chamada da avó. Convidou-a para ir lanchar a sua casa, não descansado até ouvir um “sim” da boca de Daniela.
-Olá avó!
-Olá minha querida! Estava a ver que não chegavas... – disse a Sra. Inês ao abraçar a sua neta.
-Mas está tudo bem?
-Sim está, tenho é alguém para te apresentar.
-Hãn?! - A avó não lhe respondeu agarrou-a pela mão direita e levou-a rapidamente para a sala. Ao entrar Daniela reparou que o avô não estava lá sozinho. No outro sofá estava um rapaz alto, moreno todo pipi. Daniela olhou-o de cima abaixo e depois desviou o olhar para o sofá avó com ar confuso.
-Daniela este é o Pedro. Pedro, esta é a minha neta a Daniela.
-É um prazer. - Ele sorriu e deu dois passos em frente beijando Daniela no rosto.
-Olá….Olá avô.- Daniela afastou-se um pouco dele indo cumprimentar o avô. Depois de o fazer sentaram-se.
-O Pedro é filho de um casal amigo nosso. - Disse a avó de Daniela olhando-lhe. – Ele trabalha em Marketing, vive aqui em Lisboa e está solteiro...Mas talvez seja melhor deixar-vos a sós para conversarem. -levantou-se. - Henrique vou precisar da tua ajuda na cozinha.
O avô de Daniela ainda barafustou mas a Sra. Inês levou a melhor e ele acabou por lhe acompanhar até à cozinha.
-A tua avó já à muito que tem insistido para vir aqui a casa te conhecer. -Daniela ou ouvi-lo, olhou-o.
-Pois imagino que sim…
-Ela disse-me que fazes parte de um grupo de música.
Daniela sabia muito bem que isto não passava de um arranjinho da sua avó e antes que desse a impressão errada pôs tudo em pratos limpos!
-Olha Pedro pareces ser muito simpático mas já deu para ver que a minha avó te convidou para vires aqui porque anda armada em cupido só que eu não estou à procura de ninguém. - Ele não pode de deixar de ficar surpreendido com a frontalidade com que ela falou. - Prefiro dizer-te já como são as coisas do que continuar com os arranjinhos da minha avó.
Pedro reconheceu que isto não passava de uma tentativa da avó de Daniela de ganhar um novo “neto”…
-Neste caso vou andando, diz aos teus avós que agradeço pelo convite…E se por acaso mudares de ideias. - De um dos bolsos do seu casaco retirou um pequeno cartão. - Podes sempre me ligar.
Deu-lhe um beijo na bochecha esquerda e saiu. Daniela voltou para a cozinha e ao entrar rompeu o pequeno bilhete e colocou no caixote do lixo.
-Onde está o Pedro?
-Avó, ele foi embora. - Respondeu de imediato Daniela sendo visível o espanto no rosto da sua avó.
-Foi embora?
-Sim. A avó nem o devia ter convidado para vir cá a casa.
-Eu disse-te que isto não ia correr bem…. - Falou o avô de Daniela com ar de que  já a tinha avisado.
-Cala-te homem! Mas porque ele foi embora? - Olhou para Daniela.
-Porque sei muito bem que a avó o convidou para vir cá a casa na esperança que algum dia haver algo entre mim e ele e decidi logo dizer as coisas como são e aí ele preferiu ir embora.
-Oh filha mas o que tinha de mal o rapaz?
-Eu não o conheço nem quero conhecer! A avó já devia saber muito bem que não estou à procura de ninguém.
-Não entendo! Juro que não entendo porque não queres ter alguém ao teu lado, que te trate bem, que te respeite…Gostava de te ver a construir a tua própria família, casar...
-Oh avó tenha dó! - Interrompeu-a. - Nem com o Pedro nem com ninguém! Estou bem assim e quanto a família e estas coisas pode esquecer  que isto faz parte do meu futuro!
-És a minha única neta devias compreender que gostava de te ver casada e com filhos. - A avó de Daniela não pode deixar de mostrar o seu desânimo ao falar.
-E compreendo mas também lhe peço para que respeite as minhas decisões.
-Como queiras… – falou e virou-se voltando para perto do fogão. Ela sabia que sua avó tinha feito aquilo com a melhor das intenções mas isto não fazia com que Daniela tivesse de concordar.Depois da conversa que tinham tido na cozinha  a avó Inês ainda ficou um pouco desanimada com o rumo de que as coisas tinham tomado mas para o fim da tarde já tinha voltado tudo à “normalidade”.
***
Daniela já sentia falta daquele ambiente…Daquela “liberdade” que ganhava cada vez que podia expressar tudo o que bem lhe apetecesse! Dar assas à sua imaginação e ao que sentia e por isto mesmo foi até à sua “segunda casa”…O estúdio!
Quando lá entrou olhou em volta e respirou fundo.  

Aquela sensação de preenchimento fez com que sorrisse…Entrou fechou a porta e colocou a mala e o casaco sobre o sofá. Puxou uma das cadeiras e sentou-se. Tal como todas vezes Daniela levou alguns segundos a “canalizar” a sua inspiração, ficando a olhar para aquela folha em branco com o lápis na mão.
***
-A Daniela não vem jantar? - Perguntou Helena a Olívia enquanto ponha a mesa.
-Não sei. Ela saiu a meio da tarde e não deu mais sinais de vida.
-Vou lhe telefonar…
Helena pousou os pratos e foi buscar o seu telemóvel, Daniela demorou algum tempo a atender mas acabou por o fazer.
-Sim?
-Onde é que andas? - Perguntou de imediato Helena.
-Vim até ao estúdio…
-Pensei que estavas em casa dos teus avós.
-Estive lá  mas depois decidi vir para  estúdio.
-E estás sozinha?
-Sim estou sozinha. - Se Helena achava que se tinha passado alguma coisa ao saber que Daniela tinha ido até ao estúdio sozinha ficou sem quaisquer dúvidas.
Daniela não se prolongou muito mais, pois era notório pelo sem tom de voz que não estava para grandes conversas. Talvez uma das outras raparigas tivesse esquecido aquela chamada e continuasse a preparar o jantar mas Helena preocupava-se demais para ficar em casa! Vestiu um casaco, agarrou na mala e saiu. Fez uma pequena paragem e depois rumou para onde sabia que iria encontrar a Daniela.
-O que é que estás aqui a fazer? - Ao ver Helena entrar Daniela não deixou de mostrar o seu espanto.
-Vim te fazer companhia.Toma. – Helena deu-lhe um dos sacos de papel que tinha nas mãos. - Como achei que não tivesses jantado trouxe comida para nós.
-Não precisas de ter tido este trabalho…
-Deixa de ser parva.Faço-te companhia e podemos jantar juntas. - Falou Helena sentando-se na cadeira ao lado da de Daniela abrindo  depois o saco. - Está tudo bem?
Daniela tirou a hambúrguer do saco e começou a comer sem falar mais uma palavra levando Helena a quebrar este silêncio.
-Sim está tudo bem.
-hmmm…Porque é que isto não me parece muito convincente… – Daniela bebeu um pouco de refrigerante e olhou-a. -Estamos aqui apenas nós as duas podes me contar o que se passa. Conheço bem demais para acreditar que está tudo realmente bem, tens aí qualquer coisa a remoer nesta cabecinha e o melhor é pores cá para fora.
-Helena não tenho nada para falar…-falou Daniela baixando o olhar.
-Ok já entendi. - Helena pousou a sua comida e fez o mesmo com a de Daniela fazendo com que ela a olhasse.- Como já te conheço há vários anos e sei que passa alguma coisa contigo! E talvez por te conhecer tão bem que tenho quase a certeza que estás desta maneira por causa do Rúben.
-Helena este.
-Deixa-me acabar.-Helena não deixou que ela continuasse.- Quando foste para a cama com o Rúben pela primeira vez pensei mesmo que ele não passaria de mais um…De mais um entre  tantos outros que depois de uma noite nem te darias ao trabalho de o procurar. Mas ambas sabemos que isto não é verdade! Vocês já se voltaram a envolver-se não sei quantas mais vezes e não o fizeram simplesmente pelo sexo mas porque sentem algo um pelo outro. E por mais que tentes enganar-te a ti própria está na cara que ele mexe contigo…Os ciúmes, como ele te olha, ou mesmo a forma como ficas cada vez que o vês…Sei que nunca tiveste uma relação “séria” com nenhum homem mas isto não quer dizer que devas esconder o que sentes! Deves sim dar uma oportunidade ao Rúben e por uma vez na tua vida seguir o teu coração!
Daniela que até agora ouviu Helena baixou o olhar e levou as suas mãos ao rosto. Ficando em silêncio  durante alguns uns segundos. Acabou por voltar a encará-la.
-Helena, eu prefiro não voltar a falar neste assunto, sei que não o fazes por mal e apenas queres o meu bem mas entre mim e o Rúben não vai acontecer nada….-agarrou na sua comida.
Helena ouviu o pedido de Daniela e não contra-argumentou. Terminaram de comer em silêncio e depois Helena mudou de assunto pedindo para que Daniela lhe mostrasse o que tinha estado a fazer. Como tinha sido o primeiro dia em que ela tinha  dado uso à sua inspiração ainda não tinha ganho o ritmo e mostrou-lhe apenas alguns versos que tinha escrito. Podia ser pouco mas já era o início de algo! Ficaram  mais algum tempo discutindo sobre qual seria o melhor caminho a seguir para o próximo projecto acabando depois por irem até casa.
***
Após aquela primeira ida ao estúdio Daniela voltou a fazer várias visitas aquele “cantinho”… Tinha sido praticamente um mês e meio dedicado a isto mesmo. Ao novo projecto do grupo! As outras raparigas também a acompanhavam e em conjunto com alguns produtores aos poucos aquele projecto ia ganhando “pernas para andar”.
Hoje , tal como em muitos outros dias, as raparigas reuniram-se no estúdio. A tarde estava já no fim e  não parecia que iriam sair dali tão rapidamente! Áurea e Olívia estavam agora atrás do microfone enquanto as outras raparigas do outro lado da sala observavam-nas através do vidro enquanto ouviam o que estava a ser gravado.
-Então o que acharam? - falou Olívia ao tirar os headphones dos ouvidos.
-Está fantástico! - comentou Helena com um enorme sorriso.
-Vamos só repetir mais uma vez. - olharam para Jorge, um dos produtores que ali estava hoje e depois voltaram as duas para perto do microfone.
Daniela tinha a sua atenção sob Áurea e Olívia até olhar para trás de si e ver que Isa continuava sentada no sofá com o portátil no seu colo.
-O que estás a fazer?
-Ai que susto! - disse Isa levando a mão esquerda ao peito.
–Credo também não foi coisa para tanto..Vá mostra lá o que andas a fazer.

5 comentários:

  1. Olá!
    Ui o Ruben vai ter de se esforçar muitoooo se quer conquistar a Daniela. Mas como disse o John, não é impossível! Confesso que imaginar a Daniela a namorar é estranho... Seria querida e romântica ou mais discreta e reservada? Não sei. Intriga-me, deixa-me curiosa!
    E a isa estava a fazer o quê mesmo? Eu até sobre esse tipo de pormenores fico curiosa!
    Espero o próximo!

    Beso
    Ana Santos

    ResponderEliminar
  2. Rita... Rita... quanto mais leio mais quero ler... já te disse e volto a dizer, de todas as tuas histórias esta é sem dúvida a que mais me cativa, também gostei das outras mas esta... bem esta é diferente, imprevisível e meio "maluca"!!!

    Bem sobre o Ruben conquistar a Daniela... pois... algo me diz que ainda me vou rir muito à custa destes dois que mais parecem cão e gato mas no fim lá bem no fundinho não vivem um sem o outro :P

    Ah quanto à Isa... acho que sei o que faz agarrada ao portátil loool, o que só me deixa ainda mais curiosa para ler os próximos, especialmente depois da nossa conversa ontem :P

    Ah e fica a saber que me ri ao ler a tentativa da D. Inês em arranjar um "neto"... tenho cá para mim que em vez de andar à procura do príncipe perfeito para a neta se resolvesse ajudar o Ruben a coisa corria bem melhor loool

    Quero o próximo... ou melhor os próximos :P

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Oi, oi!!!
    Os meus comentários já estão se tornando monótonos... Como sempre um capítulo fantástico!
    Acho que mesmo a Daniela sendo uma cabeça dura e não querendo admitir o que sente, o Ruben deveria tentar um pouco, dá para ver que rola algo entre eles, só falta a Dani deixar ele dar o primeiro passo.
    Coitado do Pedro, foi na casa dos avôs da Daniela jurando que ela ia cair no papo dele, mas pelo visto não conseguiu nem vento...
    Estou ansiosa para saber no que vai dar esse novo projeto das meninas e principalmente o que a Isa estava vendo no portátil...
    Bem linda, volto a dizer que foi fantástico, só não gostei de uma coisa :S achei o capítulo pequenino, acabou na melhor parte...

    Beijinhos!!!
    Lari Lima

    ResponderEliminar
  4. Olá:
    O que posso dizer???!!! O obvio: quero mais ;)
    Estes são demais!!! E agora fiquei muito curiosa pelo que a Isa anda a fazer ;)
    Quero mais!
    Bjs

    ResponderEliminar